Salão é condenado a indenizar cliente que teve alergia a produto

Ela processou o estabelecimento e ganhou R$ 3 mil como indenização por danos morais

Por Lorena Ayres, advogada

A requerente, após submeter os cabelos a uma série de procedimentos químicos em determinado salão de beleza, processou o estabelecimento e ganhou R$ 3 mil, como indenização por danos morais.

A sentença é da juíza Ana Paula de Lima Castro, da 2ª Vara Cível da comarca de Goianésia, que considerou como falha na conduta da cabeleireira a ausência de testes de sensibilidade na cliente antes de aplicar os produtos.

Logo após o término do tratamento capilar – que incluiu descoloração, tintura e selagem dos fios – a cliente já começou a sentir feridas na cabeça e coceira no couro cabeludo. Posteriormente, as dores no local pioraram.

Dessa forma, as perdas sofridas por um ataque à moral e à dignidade da pessoa são caracterizadas como uma ofensa à reputação da vítima.

Qualquer perda que abale a honra pode ser caracterizada como dano moral.

No caso em comento, a existência de nexo causal entre os serviços prestados e o dano causado à requerente sendo material e moral foi comprovado.

Lorena Ayres é advogada | Foto: Arquivo pessoal
Lorena Ayres é advogada | Foto: Arquivo pessoal

“Golpe do Motoboy”, e eu com isso?


Quer ver um texto seu publicado aqui no Folha Z?

Pode mandar para o nosso email [email protected]

Basta seguir as seguintes regras:
1 — O texto deve ser inédito e exclusivo;
2 — Textos literários ou acadêmicos não serão publicados;
3 — Textos já publicados em outros portais ou blogs não serão publicados.

Você também pode seguir o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook