A exemplo de Aparecida, Anápolis seguirá modelo próprio de isolamento

À Folha Z, o prefeito Roberto Naves (PP) declarou que a realidade anapolina não requer medidas tão drásticas quanto à da maior parte do Estado

Governador Ronaldo Caiado (DEM) e prefeito Roberto Naves (PP) | Foto: Folha Z
Governador Ronaldo Caiado (DEM) e prefeito Roberto Naves (PP) | Foto: Folha Z

A Prefeitura de Anápolis não vai aderir ao isolamento social escalonado de 14 dias proposto pelo Governo Estadual.

A exemplo de Aparecida de Goiânia, a cidade pretende seguir um modelo próprio, que leve em conta a situação local.

À Folha Z, o prefeito Roberto Naves (PP) declarou que a realidade anapolina não requer medidas tão drásticas quanto à da maior parte do Estado.

“Anápolis construiu uma rede de leitos de UTI própria. Enquanto o Estado tem lotação de 85% das vagas, Anápolis está em 33%”, afirmou.

Assim, a cidade manterá horários escalonados, mas nada de lockdown.

Igrejas poderão abrir e o comércio e as feiras livres, por exemplo, terão regime de rodízio próprio.

Fora atividades essenciais, todos os estabelecimentos deverão ficar fechados entre as 22h e 5h de todos os dias da semana e também não poderão abrir aos fins de semana.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, até a tarde desta 5ª feira (2), Anápolis já registrou 966 casos de covid-19 e 14 óbitos.

Com Hélio Lopes, Anápolis assume mais 1 espaço no Governo Caiado|


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook