Após confundir pensadores em pedido para prisão de Lula, promotor responde: “Vão catar coquinho”

Promotor José Carlos Blat (Foto: Assembleia Legislativa de São Paulo)
Promotor José Carlos Blat (Foto: Assembleia Legislativa de São Paulo)

Os promotores que pediram a prisão preventiva do ex-presidente Lula continuam repercutindo na internet. Depois de confundir Engels por Hegel no pedido de prisão, o promotor José Carlos Blat, do Ministério Público de São Paulo respondeu rispidamente a jornalistas em entrevista.

Questionado sobre a repercussão do erro, Blat respondeu: “É claro que nós sabemos a diferença entre Engels e Hegel. Numa peça de 200 laudas, falando de crimes essenciais, vão preferir ficar discutindo a filosofia? Vão caçar o que fazer. Vão catar coquinho”.

O promotor estadual tentou amenizar a história, afirmando que o ocorrido não passa de “uma tolice, é um erro material que já foi verificado e será retificado. Tudo continua como está, não há qualquer gravidade nisso.”

O erro provavelmente ocorreu porque os promotores tentaram fazer uma associação entre os crimes imputados a Lula e um constrangimento causado aos autores clássicos do comunismo.

LEIA MAIS: Novela da vida real – JOGO LIMPO com Rodrigo Czepak: “A vida imita a arte. Os últimos capítulos da novela “A Regra do Jogo” coincidem com a turbulência política vivida no país. Tudo se resume à guerra do bem contra o mal, quando na verdade os dois lados flertam frequentemente com a lama. Qual a diferença entre Romero, Zé Maria, Gibson, Tóia e Atena quando comparados a Lula, Dilma, Cunha, Renan e Aécio?  Rigorosamente nenhuma […]”

Memes

Vários internautas se manifestaram de maneira bem-humorada à confusão e produziram memes e piadas nas redes sociais.

Comentários do Facebook