'Não podemos discutir quem pode abrir, mas como pode abrir', defende Baiocchi

Fecomércio pede retomada total das atividades na capital, com regras: 'Compete ao empresário definir se compensa abrir'

Presidente da Federação do Comércio de Goiás (Fecomércio-GO), Marcelo Baiocchi | Foto: Divulgação
Presidente da Federação do Comércio de Goiás (Fecomércio-GO), Marcelo Baiocchi | Foto: Divulgação

Comerciantes e empresários comemoraram a publicação do decreto de reabertura das atividades econômicas de Goiânia nesta 2ª feira (13).

Com as novas regras, restaram poucos setores que ainda não poderão abrir as portas de maneira nenhuma na capital (leia mais no link ao fim da matéria).

À Folha Z, o presidente da Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio-GO), Marcelo Baiocchi, elogiou a medida e destacou a participação das categorias empresariais nos processos de decisão.

“Nós participamos ativamente aqui na prefeitura. Tivemos várias interlocuções com o Walisson Moreira [secretário Desenvolvimento Tecnológico e Informação da Sedetec]”, afirmou.

Segundo ele, a Fecomércio atuou, inclusive, na elaboração de boa parte dos protocolos de segurança para a retomada.

Reabertura

Baiocchi ainda ressaltou que a postura da entidade foi, desde o início, pela reabertura de todas as atividades, independente da sua natureza.

Ele também adiantou que seguirá articulando para que até os serviço ainda hoje vedados, como cinemas e clubes, tenham suas próprias regras para reabertura.

“Não podemos discutir quem pode abrir, mas como pode abrir. Nem que uma academia, por exemplo, abra para atender só 1 cliente de cada vez. Compete ao empresário definir se compensa abrir”, afirmou.

LEIA MAIS SOBRE AS REGRAS:
Confira a íntegra do novo decreto de reabertura da Prefeitura de Goiânia


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook