Novo manual de Procedimento Operacional Padrão da Guarda Civil Municipal (GCM) de Aparecida foi publicado nesta sexta, 18 | Foto: Rodrigo Estrela
Novo manual de Procedimento Operacional Padrão da Guarda Civil Municipal (GCM) de Aparecida foi publicado nesta sexta, 18 | Foto: Rodrigo Estrela

A Prefeitura de Aparecida instituiu por meio de decreto o novo manual de Procedimento Operacional Padrão (POP) da Guarda Civil Municipal (GCM).

Mas a publicação, feita no Diário Oficial Eletrônico nesta sexta, 18, não agradou todos os integrantes da categoria.

De acordo com o manual, o guarda em serviço não pode conversar demasiadamente com particulares; colocar as mãos nos bolsos; cruzar os braços; usar gírias; e apoiar-se em postes, paredes ou veículos.

Para o presidente da Associação Municipal de Proteção aos Inspetores e Guardas Civis, Wanderley Amâncio, as novas regras podem atrapalhar a vida dos servidores.

“Regras de procedimento são normais em qualquer instituição, mas dependem da natureza. Querem transformar uma instituição civil [a GCM] em um quartel do exército”, afirmou o presidente em áudio enviado a colegas.

Presidente da Associação Municipal de Proteção aos Inspetores e Guardas Civis, Wanderley Amâncio | Foto: Arquivo Pessoal
Presidente da Associação Municipal de Proteção aos Inspetores e Guardas Civis, Wanderley Amâncio | Foto: Arquivo Pessoal

Prefeitura

Por meio da assessoria, a Secretaria de Mobilidade e Defesa Social informou à reportagem que o Procedimento Operacional Padrão (POP) foi elaborado por uma comissão de agentes de várias categorias dentro da própria corporação da GCM.

“A secretaria ressalta que a elaboração do POP foi feita após meses de estudo e guiará as ações dos Guardas Civis Municipais (GCM)”, relatou a nota.

Segundo a secretaria, qualquer servidor que tenha sugestões ou questionamentos a respeito do POP pode apresentá-los ao comando da corporação.

Suposto vazamento de fotos íntimas causa troca na GCM Goiânia


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

/strong>

Comentários do Facebook