MDB busca formar bancada de vereadores para 2020. Na imagem, Léo Mendanha, Gustavo Mendanha e Rodrigo Estrela | Foto: Montagem
MDB busca formar bancada de vereadores para 2020. Na imagem, Léo Mendanha, Gustavo Mendanha e Rodrigo Estrela | Foto: Montagem

O MDB, de Gustavo Mendanha, articula para garantir a maior bancada da Câmara Municipal de Aparecida em 2020.

Presidente do partido na cidade e pai do prefeito, Léo Mendanha não poupa esforços para atrair vereadores com mandato para a legenda.

A eles o presidente prometeu estrutura e apoio total nas eleições.

Dois já apalavraram sua filiação: Aldivo Araújo (PPS) e Hilário Giacomet (PSB).

Mas outros têm apontado, reservadamente, que se sentiram incomodados com a pressão: “Como dizer não para o pai do prefeito?”.

Com a máquina pública nas mãos, o MDB pode restringir a participação dos vereadores em nomeações para cargos de baixo a alto escalão.

Podemos

Apesar de não pretenderem se filiar ao MDB, outros 2 vereadores também podem passar para debaixo do guarda-chuva do partido do prefeito.

Tratam-se de Edinho (DC) e Leandro da Pamonharia (PV), que flertam com uma filiação ao Podemos.

De acordo com o presidente municipal do partido, Rodrigo Estrela, há um “namoro” com os parlamentares, mas nada ainda acertado.

Rodrigo ainda destacou que o partido já tem aliança concretizada para a reeleição com Mendanha.

“Porque acreditamos ser o melhor projeto para Aparecida”, afirmou.

Sobre as discordâncias que membros do Podemos tiveram com a gestão no passado, o presidente explicou que não passaram de críticas construtivas, “para ajudar o prefeito a melhorar”.

Segundo ele, a chapa que vem sendo montada pelo Podemos tem condição de eleger de 2 a 3 vereadores em Aparecida.

No grupo, foi estabelecido um teto de até 1.200 votos para os pré-candidatos.

Vereador pode trocar Aparecida por Goiânia em 2020


Quer receber notícias da política de Aparecida?

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade.

É só seguir o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook