O governador Ronaldo Caiado convocou a população goiana para protestar contra os péssimos servições oferecidos pela Enel Distribuição.

O pedido foi feito nesta quinta-feira, 21, após o lançamento do Pacto Goiano pelo Fim da Violência Contra Mulher, no Palácio da Música do Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON).

“Todo cidadão, seja do município mais distante, venha para cá (até os órgãos estaduais competentes), com o relatório sobre qual foi seu prejuízo em decorrência da perda de energia em seu município”, convocou Caiado.

Os documentos e relatórios poderão ser entregues na Controladoria-Geral do Estado (CGE), no Procon Goiás e na Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

Em seguida, o Governo de Goiás fará um compilado dos danos causados pela ineficiência do serviço da Enel.

O relatório será encaminhado à Presidência da República e ao Ministério de Minas e Energia.

Sem negociações

Após inúmeras tentativas de acordo entre o Governo e a Enel, para prestar o serviço de qualidade, Caiado anunciou que se esgotaram todas as possibilidades de negociação com a empresa.

Além disso, o governador também aguarda votação do projeto de lei de autoria de deputados estaduais para rompimento de contrato entre Estado e Enel.

“As medidas serão tomadas, com toda a responsabilidade, e eu quero que todos os goianos tragam (os documentos) para mostrarmos os milhões de reais que foram assaltados do Estado de Goiás, com as tarifas e, depois, com os prejuízos”, ressaltou Caiado.

Segundo o governador, será promovido ainda um grande evento para demonstração dos danos. “Vamos sancionar a lei na porta da Enel, com todas as pessoas levando também suas queixas”.

Distribuidora de Energia Enel recebe multa de R$ 62 MI do Governo de Goiás | Foto: Reprodução
Distribuidora de Energia Enel recebe multa de R$ 62 MI do Governo de Goiás | Foto: Reprodução

Governo de Goiás multa Enel em R$ 62 milhões

Enel

Em nota, a Enel Distribuição Goiás informou que o serviço de distribuição de energia elétrica é concedido pelo Governo Federal, por meio do Ministério de Minas Energia (MME) e que, portanto, qualquer medida relacionada à concessão é competência privativa da União, nos termos da Constituição Federal.

A companhia disse que está seguindo com o cronograma de aceleração dos investimentos acordado em agosto deste ano com o governo estadual, o Ministério de Minas e Energia e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Ainda este ano, a companhia vai inaugurar duas novas subestações, uma em Mineiros e outra em Anápolis, que beneficiarão ao todo cerca de 200 mil clientes.

O plano de investimentos também prevê, dentre outras ações, o atendimento, até dezembro do próximo ano, de 68% da atual demanda por capacidade adicional de energia (462 MVA), acumulada durante anos de falta de investimentos no período em que a distribuidora era estatal, sendo que a totalidade será concluída até 2022, com a conclusão de obras de infraestrutura de grande porte.

A Enel reitera que com as frequentes chuvas que atingiram a região nos últimos dias, a empresa reforçou seu plano de atuação emergencial, deslocando eletricistas de outros estados e contratando helicópteros para atuar na recuperação da rede elétrica nas áreas rurais.

Deputado pede denúncias contra a Enel na polícia


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook