Caiado volta a clamar por fechamento do comércio e atividades não essenciais a prefeitos goianos | Foto: Divulgação/Governo de Goiás
Caiado volta a clamar por fechamento do comércio e atividades não essenciais a prefeitos goianos | Foto: Divulgação/Governo de Goiás

Após diminuir o tom em relação às medidas de combate à covid-19 nos municípios goianos, o governador Ronaldo Caiado (DEM) voltou a pedir que prefeitos fechem o comércio e atividades não essenciais na manha desta 5ª feira (25).

Durante pronunciamento no Palácio das Esmeraldas, Caiado destacou que o Estado entrou na pior fase da pandemia.

Segundo ele, o tão temido pico da curva de casos em Goiás é esperado para o período que vai do final de junho até o final de julho.

“Querendo ou não, estamos hoje no epicentro da pandemia. Sabíamos que este momento chegaria e temos que mostrar que não me omiti nem por um minuto daquilo que é função de um governador”, afirmou.

Caiado ainda revelou que já foi convocada uma reunião com prefeitos e representantes de todos os Poderes para a próxima 2ª feira (29).

A intenção é aumentar a taxa de isolamento social em Goiás, diminuir o índice de contaminados e desafogar o sistema de saúde.

“Se não diminuirmos o fluxo de pessoas, a estrutura hospitalar não será suficiente. Precisamos de um hiato a mais, um período para a gente aumentar o isolamento social para daqui 10 dias voltar, daqui um mês voltarmos de novo até a gente atravessar equilibrando o número de casos com a nossa capacidade de atendimento”, pontuou o governador.

Aparecida atinge 2 mil casos de coronavírus e 100% de lotação na rede privada


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook