Caminho sem volta para Michel Temer

Vice-presidente terá nas mãos oportunidade de entrar para a história como quem recolocou o País no rumo da governabilidade

Temer confidenciou a interlocutores que pretende repetir a estratégia do ex-presidente Lula e escolher “alguns Pelés” para sua equipe. Veja os nomes

Temer
Temer enfrentará um período curto de tolerância – talvez 90 dias – até que resultados concretos passem a ser cobrados na gestão econômica do país / Foto: EBC

Goiano ligado a Iris Rezende está entre os cotados para assumir ministério

O nome dele é Michel Miguel Elias Temer Lulia. Advogado constitucionalista, tem 75 anos e ocupa a vice-presidência da República e ex-presidente do diretório nacional do PMDB, maior partido do país.

publicidade

As credenciais e a experiência de Michel Temer serão fundamentais para que ele consiga a façanha de comandar a transição entre o rejeitado Governo Dilma Rousseff (PT) e a retomada do desenvolvimento do país. Tarefa dificílima, diga-se de passagem, muito em função dos desgastes provocados pelos companheiros Eduardo Cunha (Câmara) e Renan Calheiros (Senado).

Sem volta

Fugindo às suas características e impulsionado pelo desprezo da companheira de chapa nas eleições de 2010 e 2014, o vice-presidente entrou em campo, finalmente, para desequilibrar a partida. Sabe que estará sob fogo cruzado, acusado de golpista, entretanto aposta na formação de um ministério de peso para superar adversidades e desconfianças. O marido de Marcela Temer, com quem está casado há 13 anos, enfrentará um período curto de tolerância – talvez 90 dias – até que resultados concretos passem a ser cobrados na gestão econômica do país.

Nome para o Ministério da Fazenda

Por isso seu grande trunfo atende pelo nome de Henrique Meirelles para o Ministério da Fazenda. Temer já confidenciou a interlocutores próximos que pretende repetir a estratégia do ex-presidente Lula e escolher “alguns Pelés” para sua equipe. Os senadores José Serra (PSDB) e Ronaldo Caiado (DEM) também estão cotados na bolsa de apostas, além de outros nomes emblemáticos da sociedade brasileira.

A idade avançada faz com que Michel Temer não tenha direito a segunda chance. O paulistano de voz ponderada terá nas mãos a oportunidade de entrar para a história como o agente político que recolocou o país no rumo da governabilidade. Independente de alguns erros do passado e certos constrangimentos provocados por colegas de partido, Temer tem experiência suficiente para deixar a sua marca na conjuntura político-administrativa do país.

Caso perca a oportunidade, o vice-presidente assumirá a condição de grande fiasco público dos últimos anos, superado apenas pelo fenômeno às avessas chamado Dilma Rousseff.