Iniciativa quer mudar corredor de ônibus para a esquerda em Goiânia

Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Goiás, José Carlos Palma Ribeiro | Foto: Guilherme Coelho
Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Goiás, José Carlos Palma Ribeiro | Foto: Guilherme Coelho

Entidades representativas do setor produtivo comemoram o resultado das eleições para a Câmara Municipal de Goiânia e esperam ter mais facilidade para aprovar projetos durante a próxima legislatura, como uma mudança nos corredores de ônibus na capital. Por meio da iniciativa intitulada Projeto 21, os representantes estimam contar com sete vereadores aliados do setor.

Segundo contou ao Folha Z o presidente do Sindicato do Comércio Varejista no Estado de Goiás (Sindilojas), José Carlos Palma Ribeiro, foram cinco vereadores que já haviam aderido à iniciativa no período da campanha, mais dois que entraram após a eleição e outros que já demonstraram interesse na adesão. “Até janeiro, teremos alcançaremos os 20 necessários para assegurar a maioria da Câmara”, disse o presidente.

Corredores exclusivos de ônibus, que privilegiam o transporte coletivo, garantem fluidez aos ônibus e agilizam o deslocamento | Foto: Prefeitura de Goiânia
Entidades querem corredores exclusivos de ônibus à esquerda | Foto: Prefeitura de Goiânia

Corredor

publicidade

Entre as medidas mais urgentes defendidas pela categoria está a revisão de todo o projeto de corredores de ônibus implantado pela última gestão em Goiânia. O Sindilojas e as entidades parceiras defendem que as faixas sejam deslocadas para a esquerda das vias, assim como já foi realizado na Avenida Goiás, no Centro da cidade. “É mais inteligente e tem menos malefícios para os empresários prejudicados atualmente, aumentando assim a geração de empregos, o trânsito, a valorização dos imóveis e a arrecadação do município”, comentou José Carlos.

Dessa maneira, o presidente acredita que não haverá tanta perda para comerciantes como houve nas Avenida T-63 e Rua 10, onde o estacionamento foi completamente proibido. “Com os ônibus circulando pela faixa da esquerda, o trânsito fica livre à direita, assim como o estacionamento”, comentou.

Outra proposta defendida pelo Projeto 21 obriga hospitais públicos e particulares de Goiânia a digitalizarem atestados emitidos por médicos como justificativa para faltas ao trabalho, fixando prazo de dois anos para que os estabelecimentos de saúde se adequem à nova regra. De autoria da vereadora Cristina Lopes (PSDB), a medida já foi aprovada pela Câmara Municipal em segunda e última votação e segue para sanção ou veto do prefeito Paulo Garcia.

LEIA MAIS: Título de Cidadão Goiano para Temer tem parecer favorável de deputados

Projeto 21

Empresários do setor produtivo goiano lançaram a campanha intitulada Projeto 21. Por meio de inserções em rádios, TVs e outdoors, a ideia é chamar a atenção do eleitor goianiense para a necessidade de uma reformulação no modelo atual de política. As peças publicitárias transmitem mensagens informativas mostrando aos eleitores que um país melhor depende de empresas fortes, que geram empregos e aumentem a renda do trabalhador.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter