Crise financeira da prefeitura atinge servidores que ficam sem atendimento médico

Crise financeira e administrativa atinge a gestão de Paulo Garcia
Crise financeira e administrativa atinge a gestão de Paulo Garcia

70 mil servidores municipais são afetados pela crise financeira e administrativa que a prefeitura da capital passa. Desde o começo do mês, estes servidores não tem atendimento médico pelo plano de saúde, com exceção de emergências.

Calote
Segundo matéria de O Popular, prestadores de serviços do plano de saúde da prefeitura, o Imas, temem o calote e por isso não estão fazendo o serviço. Em fevereiro foi firmado um acordo em relação ao pagamento atrasado do mês de dezembro e, segundo o jornal, a dívida já acumula R$ 5,3 milhões.

Para a presidente do Imas, Cristina Laval, a paralisação é inoportuna, pois todos os acordos já feitos foram cumpridos.

Comentários do Facebook