“Delegado Waldir não é baú pra guardar segredos”. Deputado eleito denuncia quem manda e desmanda na Segurança de Goiás

“Delegado Waldir não é baú pra guardar segredos. Não tenho língua amarrada, minha língua é solta. Mas não pra provocar. Não sou aquele atacador nato. Ajo quando sou provocado, humilhado, quando sou pisoteado. Isso aconteceu ao longo da minha carreira na Polícia Civil”

(Foto Ruber Couto / O Hoje)
(Foto Ruber Couto / O Hoje)

Em entrevista à TV Hoje – programa de Frente com o Poder, apresentado pelo jornalista goiano Murilo Santos -, o delegado e deputado federal eleito pelo PSDB, Waldir Soares, fez sérias acusações contra aliado do governador Marconi Perillo.

Waldir, nas eleições de 5 de outubro, obteve 274.625 votos. Ele afirmou que foi perseguido pelos diretores da Polícia Civil, mandados por quem tinha um mando político na Secretaria de Segurança Pública.

Deputado federal manda e desmanda na Segurança
De acordo com o delegado Waldir, quem manda e desmanda na Secretaria de Segurança Pública é um deputado federal tucano., que também é delegado. “Adivinha quem? É o dono da Segurança Pública”, ironizou Waldir.

Ainda de acordo com o delegado Waldir, o secretário de Segurança, Joaquim Mesquita, não impõe. “Secretário também é um cargo político. Ele tem que se render a quem manda politicamente na Secretaria de Segurança”, frisou em entrevista ao jornalista Murilo Santos.

Tem muita gente que não trabalha na Polícia Civil
Waldir Soares afirmou ainda que teve seus telefones grampeados e denunciou que tem muita gente que não trabalha na Polícia Civil. “40% estão no serviço administrativo. Temos na assessoria jurídica da Polícia Civil dois delegados. Por que não colocam dois jovens advogados? Assessoria de imprensa da Civil: meu amigo, colega, delegado Norton. Por que não colocam um jovem jornalista? Lugar de delegado é na delegacia. Mas tem delegado que fica no Departamento Financeiro da Polícia. Tem delegado encostado em muito canto”, ressaltou Soares.

A batalha é longa
Ainda segundo Waldir, ele deveria estar em uma lista de promoções, mas por perseguições o tiraram. Ele não quis revelar o nome das pessoas que pediram para grampear seus telefones. “Divulgarei no momento certo. A batalha é longa”.

Confira a entrevista na íntegra, no Hoje de Frente Com o Poder:

 

Comentários do Facebook