O Conselho de Ética do PDT de Aparecida anunciou nesta 2ª feira (23) a expulsão do vereador Elias Júnior por infidelidade partidária; mas o vereador contesta a decisão e afirma que pretende ir à Justiça para garantir sua permanência.

De acordo com o documento de expulsão [abaixo], Elias teria sido notificado do processo de expulsão, mas não apresentou defesa no prazo previsto, tornando-se revel.

O parlamentar, por sua vez, ressaltou que não cometeu nenhuma falta grave para a qual há previsão de expulsão no estatuto do partido e tampouco foi notificado do processo.

Segundo ele, o que ocorre é uma tentativa de afastá-lo do PDT mais rapidamente, para que o seu provável número de votos não atrapalhe a montagem do grupo de pré-candidatos.

“Não existe infidelidade partidária da minha parte. Sempre tive uma ligação profunda com a legenda, que é muito importante pra mim”, afirmou.

Elias também apontou que tomará uma decisão sobre sair ou não do partido “por conta própria”, até a data máxima de filiação prevista pelo TSE: 4 de abril.

Ele adiantou que já dialoga sobre o assunto com o secretário municipal de Articulação Política, Tatá Teixeira, apesar da crise do coronavírus, que tem sido um obstáculo para todas as discussões partidárias.

“Já recebi ligações de pessoas que querem me ameaçar para sair. Mas, se tentarem me expulsar, vão ter que brigar na Justiça”, disse.

Fechado: Ozair José assume o PSC e vai montar grupo de Glaustin


Quer receber notícias dos bastidores da política de Aparecida? NOSSO NÚMERO MUDOU!

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade!

Mande uma mensagem para o Whatsapp da Folha Z e se cadastre para ter as matérias especiais da Folha Z direto do seu celular!

É só adicionar o telefone do jornal à sua agenda e mandar o seu nome e a seguinte mensagem: “quero notícias da política de Aparecida”.

Comentários do Facebook