FHC nega denúncias de amante. Ele teria usado empresa para enviar dinheiro ao exterior

FHC e Mirian Dutra (Foto: Montagem)
FHC e Mirian Dutra (Foto: Montagem)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou nesta segunda (22) que são “invenção” e “coisas menores” as denúncias de que ele teria usado a Brasif S.A. Exportação e Importação para enviar ao exterior dinheiro para a amante Mirian Dutra e para o filho dela, Tomás Dutra.

A denúncia foi feita pela jornalista Mirian Dutra à “Folha de S. Paulo”. Em resposta, FHC negou: “Não tem fato. O que foi que eu fiz de errado? Nada. Vocês estão insistindo em um tema que não existe”. “É invenção, não sei de quem. São coisas menores. Estou preocupado com o Brasil”, disse.

O caso

A jornalista afirmou ao jornal paulista que FHC teria usado uma empresa para bancá-la no exterior. Em documento, aparece como contratante a Eurotrade Ltd., empresa da Brasif com sede nas Ilhas Cayman. E o contrato de de US$ 3.000 mensais estabelecia serviços que Mirian nega jamais te realizado.

Fernando Henrique admitiu manter contas no exterior e ter mandado dinheiro para Tomás, mas nega ter usado a empresa para bancar a jornalista.

O empresário e dono da Brasif Jonas Barcellos não nega o acerto: “Tem alguma coisa, mesmo, sim. Eu só não sei se era contrato”, disse.

LEIA MAIS: O destino cruel de Rincón – JOGO LIMPO com Rodrigo Czepak

Amante

Fernando Henrique manteve um relacionamento extraconjugal por seis anos com Mirian. Ela ficou grávida e, depois do nascimento do filho, foi morar em Portugal.

FHC reconheceu a paternidade do menino, embora não o tenha registrado. Anos depois, testes de DNA concluíram que ele não era filho biológico do ex-presidente, mas Cardoso afirmou que o exame não mudava nada na sua relação com o garoto.

Comentários do Facebook