Funcionária nega acesso a informações da Câmara de Aparecida ao Folha Z

Procurador Geral da Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, o advogado Davi Lorero destacou equívoco da funcionária | Foto: Guilherme Coelho
Procurador Geral da Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, o advogado Davi Lorero destacou equívoco da funcionária | Foto: Guilherme Coelho

Em acompanhamento rotineiro à sessão na Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, a reportagem do Folha Z se deparou com uma situação incomum: ao solicitar a pauta de votação a uma funcionária da Casa, a reportagem foi informada de que as pautas discutidas no Legislativo Aparecidense são disponibilizadas ao público somente após a aprovação.

Após insistência da equipe e repetidas negativas, o procurador Geral da Câmara de Aparecida de Goiânia, advogado Davi Lorero, negou que este seja o procedimento da Casa. “A orientação do presidente Vilmarzin Mariano (PMDB) é para que todos os atos sejam divulgados com a mais absoluta transparência”, disse.

LEIA MAIS: Estádio Annibal Batista sediará Copa do Brasil e eventos após reforma

publicidade

De acordo com o procurador, se o jornal encontrou qualquer dificuldade na obtenção de informações, “com certeza, a partir de amanhã, a orientação da procuradoria será para que seja disponibilizada não só para o Folha Z, mas para toda a imprensa, a pauta de votação”.

O advogado ainda comentou que a publicidade da pauta de votação, além de servir à sociedade, serviria ao próprio vereador, que teria seu trabalho divulgado, aproximando-se assim da população.

Politicagem

O assunto foi tema da coluna Politicagem, do jornalista Guilherme Coelho.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter