Médica Ludhmila Hajjar trabalha no hospital Sírio Libanes. Caiado é amigo da família | Foto: Reprodução
Médica Ludhmila Hajjar trabalha no hospital Sírio Libanes. Caiado é amigo da família | Foto: Reprodução

A cardiologista Ludhmila Hajjar deve assumir a Secretaria de Saúde do governo eleito de Ronaldo Caiado.

Foi o que cravou a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna desta quarta-feira, 14, na “Folha de S. Paulo”.

Ludhmila é natural de Anápolis, cidade onde também nasceu Ronaldo Caido.

Hoje, ela atua no Hospital Sirío Libanês, em São Paulo, além de lecionar na Universidade de São Paulo (USP).

Unifan Bolsas de até 70% – 300×250

A médica também integra a equipe do cardiologista Roberto Calil, responsável por acompanhar o tratamento do presidente eleito Jair Bolsonaro durante o episódio da facada.

Caiado não confirmou oficialmente a indicação.

Mas, nos bastidores, já se fala abertamente sobre a probabilidade de que o convite seja formalizado.

A médica integrou equipe que tratou Bolsonaro durante o episódio da facada | Foto: Reprodução
A médica integrou equipe que tratou Bolsonaro durante o episódio da facada | Foto: Reprodução

Decisão foi elogiada

Familiares de Ludmilla ainda vivem em Anápolis. Ronaldo Caiado, que também é médico e atual senador, é amigo da família.

Segundo a avaliação de correligionários, a escolha de Caiado é um gol para seu governo, já que a médica alia consistência técnica e conhecimento de gestão.

Até o momento, ainda não foi confirmado nenhum nome para a composição do futuro governo.

No entanto, Caiado já trabalha nessa articulação.

Suspense

Atualmente, dentre os governadores eleitos neste pleito, apenas dois ainda não revelaram os nomes indicados para os seus quadros.

São eles Caiado e o empresário Mauro Mendes, governador eleito do Mato Grosso.

LEIA MAIS: Denúncia sobre funcionária fantasma é pichada na Câmara


Acompanhe o que acontece em Aparecida seguindo o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)