Iris e Gustavo não são imbatíveis. Mas oposição precisa se qualificar

O que não falta é pré-candidato acreditando que vai desbancar o favoritismo dos prefeitos apenas com o surrado discurso da mudança e grande presença nas redes sociais

Atenção: Ao copiar material produzido pelo Folha Z, favor citar os créditos ao site. Bom jornalismo dá trabalho!

Tentando não falar de política

Tenho recebido muitas diretas e indiretas para falar de política neste pouco tempo de retorno à coluna.

O tema fascina e desanima na mesma proporção. “Tudo pode acontecer, inclusive nada” é a máxima do ano pré-eleitoral, o grande laboratório dos balões de ensaio.

Dia desses li uma análise de que a eleição para Prefeitura de Goiânia já conta com 15 pré-candidatos. E com tendência de aumento na lista.

Sorri e lembrei do tempo em que o papel aceitava tudo. Hoje é a internet, a necessidade de chamar atenção para algo ilusório.

Favoritismo

Mas como desarmar o espírito dos sonhadores se a eleição de Jair Messias Bolsonaro ganhou fama de divisor de águas da política nacional justamente pelo ambiente franciscano como se impôs?

O que não falta é pré-candidato acreditando que vai desbancar o favoritismo de Iris Rezende (Goiânia) e Gustavo Mendanha (Aparecida) apenas com o surrado discurso da mudança e grande presença nas redes sociais.

O eleitor quer e espera mais do debate político. Aponto Iris e Gustavo como favoritos porque estão com o poder nas mãos, obras em andamento e são hábeis nos bastidores.

Iris Rezende (Goiânia) e Gustavo Mendanha (Aparecida) | Foto: Reprodução
Iris Rezende (Goiânia) e Gustavo Mendanha (Aparecida) | Foto: Reprodução

Rejeição

Isso não os torna imbatíveis, longe disso. Iris carrega o desgaste natural pelos 60 anos de vida pública – 85 de idade – e Gustavo o peso pela significativa rejeição entre os servidores públicos.

O x da questão na disputa, tanto em Goiânia como Aparecida, tem a ver com o currículo e a competência dos oposicionistas.

O que se observa, até o momento, é uma grande quantidade de sonhos embalada pelo papel da vaidade.

E ninguém ganha “no grito” de uma dupla dinâmica (Iris/Gustavo), filiada ao mesmo partido (MDB), portanto ligada umbilicalmente, e que trabalha dia e noite por um só objetivo (reeleição).

#prontofalei

Cairo Salim quer 2 candidatos da oposição para desbancar Mendanha


Acompanhe o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook