Ronaldo Caiado e Henrique Mandetta durante visita ao Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás | Foto: Marcos Corrêa/PR
Ronaldo Caiado e Henrique Mandetta durante visita ao Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás | Foto: Marcos Corrêa/PR

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta passou o domingo de Páscoa com o governador Ronaldo Caiado (DEM) no Palácio das Esmeraldas.

Ele chegou a Goiás no sábado (11), junto do presidente Jair Bolsonaro, para visita ao Hospital de Campanha de Águas Lindas.

Lá, segundo assessores, o clima entre o ministro e presidente era de distanciamento.

Ao final do evento, Mandetta nem mesmo retornou a Brasília com o presidente. Ao invés disso, rumou para Goiânia acompanhado da esposa, Terezinha.

A decisão não fazia parte da agenda oficial do ministro e ocorreu a convite do governador.

“Ronaldo Caiado é como um irmão mais velho, uma espécie de ‘paizão’. Então ele me convidou, eu aceitei, vim aqui com minha esposa e almoçamos juntos hoje, rezamos juntos hoje com a família dele, ele me emprestou um pouquinho da família dele para recarregar as baterias. Por causa disso, eu vim pra cá”, relatou Mandetta.

Fantástico

Luiz Henrique Mandetta dá entrevista ao Fantástico direto do Palácio das Esmeraldas, onde passou o fim de semana de Páscoa a convite do governador Ronaldo Caiado | Foto: Henrique Ramos/TV Anhanguera
Luiz Henrique Mandetta dá entrevista ao Fantástico direto do Palácio das Esmeraldas, onde passou o fim de semana de Páscoa a convite do governador Ronaldo Caiado | Foto: Henrique Ramos/TV Anhanguera

Outro episódio que surpreendeu interlocutores de Brasília foi uma entrevista concedida pelo ministro da Saúde ao Fantástico, da TV Globo.

Direto do Palácio das Esmeraldas, Mandetta ressaltou que o pico do coronavírus será em maio e junho.

Ele ainda fez um apelo para que o Brasil não desista do isolamento social, estratégia sobre a qual o presidente Bolsonaro tem uma opinião negativa.

O ministro ainda pediu que o Governo Federal adote uma fala unificada a respeito dos diferentes modelos de enfrentamento à pandemia.

“Isso leva para o brasileiro uma dubiedade. Ele não sabe se escuta o ministro da Saúde, o presidente, quem é que ele escuta”, disse Mandetta.

No final da noite de domingo (12), o ministro voltou para Brasília, onde segue com os compromissos normais da Saúde.

Vamos começar a flexibilizar a quarentena, garante Caiado


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook