Ministério Público quer melhorar comida em presídios goianos

Qualidade da alimentação em presídios é questionada (Foto: Reprodução)
Qualidade da alimentação em presídios é questionada (Foto: Reprodução)

Depois de receber reclamações de várias cidades do Estado, o Ministério Público de Goiás afirma que buscará soluções para melhorar a qualidade da alimentação fornecida nos presídios goianos.

Em reunião entre o coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal, Vinícius Marçal Vireira, promotores de Justiça reuniram-se e integrantes da Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap), foram estipuladas visitas às penitenciárias e reuniões com as empresas responsáveis pelo serviço e diretores dos presídios.

LEIA MAIS: Suspeito de matar três no Jardim América é preso graças à tornozeleira

publicidade

Segundo a promotora Melissa Ita, os detentos de Goianápolis e Terezópolis precisam solicitar comida e utensílios a seus familiares, já que a comida fornecida seria de baixa qualidade. Os detentos reclamam que as refeições são entregues muito cedo e acabam sendo descartadas por se tornarem impróprias para o consumo.

Alto Paraíso

Já em Alto Paraíso, relatório da Vigilância Sanitária recomendou a melhoria da qualidade das marmitas, tendo em vista que foi identificada grande quantidade de carne imprópria para o consumo.

Para conter o problema, o plano é que visitas regulares sejam feitas aos presídios de Goiatuba, Buriti Alegre, Goianápolis, Terezópolis de Goiás e Alto Paraíso, a fim de verificar a possível ocorrência de irregularidades relativas ao fornecimento de alimentação.