PMDB busca se reerguer e Agenor garante que Iris não quer ser candidato. Será?

Por Guilherme Coelho e Marco Faleiro

Agenor Mariano fala sobre sua relação com o prefeito Paulo Garcia, diz não opinar nas ações da prefeitura, exalta a figura política do seu ex-chefe e provoca o governador Marconi Perillo, que não consegue vencer o PMDB em Goiânia

Agenor Mariano tem 41 anos, é casado com a médica Laquimê Prado e pai de dois filhos (Foto: Folha Z)
Agenor Mariano tem 41 anos, é casado com a médica Laquimê Prado e pai de dois filhos (Foto: Folha Z)

Diplomático e muito esclarecido, o vice-prefeito de Goiânia Agenor Mariano (PMDB) diz conhecer bem o seu lugar dentro da administração municipal. “Quando diz respeito a coisas da prefeitura, não opino, porque respeito a soberania do prefeito”, declarou. Sempre cuidadoso nas respostas, o peemedebista disse que tem boa relação com Paulo Garcia (PT) e que acredita numa melhora da avaliação da administração nesse último ano de mandato.

Para Agenor, tudo é fase. De acordo com ele, no início do ano, as obras não tinham deslanchado, o que abriu espaço para as pautas negativas na imprensa. E, agora, que a população vê o trabalho da prefeitura, essa avaliação vai mudar. “O prefeito é um tanto quanto discreto, não gasta rios de dinheiro com publicidade”, provocou.

Comparando as gestões de Iris Rezende (PMDB) e Paulo, Agenor destacou que as demandas que a cidade apresentava são diferentes hoje. Segundo ele, um terço das ruas de Goiânia não tinham asfalto na época de Iris e esse problema foi erradicado através das ações do antigo prefeito, deixando asfaltadas, em 2010, todas as ruas de terra habitadas até a data de 2004. Já Paulo Garcia enfrenta problemas na Saúde e investe 20% do orçamento municipal no setor.

UPA Jd América

Questionado sobre a execução da obra de transformação do Centro Integrado de Atenção Médico Sanitária (Ciams) Jardim América em Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Agenor confirmou que este é realmente o plano da prefeitura. Porém destacou que o projeto está dividido em etapas: primeiro, foi construída a UPA do Jardim Itaipu e, em um segundo momento, será definido o cronograma das obra no Jardim América.

Marconi

O vice-prefeito afirmou desconhecer qualquer tipo de auxílio do governador Marconi Perillo (PSDB) à prefeitura de Goiânia. De acordo com Agenor, nem mesmo o tão alardeado repasse de fundos estaduais para a compra de caminhões da coleta de lixo em 2014 foi feito. No entanto, a assessoria de imprensa do governador comunicou, na época, que milhões de reais haviam sido repassados com esse intuito.

Na opinião de Agenor Mariano, apenas uma ação do governador auxiliou a administração municipal. Para ele, o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol), inaugurado em julho deste ano, desafogará o atendimento médico na cidade. Isso seria uma ajuda indireta de Perillo a Garcia, visto que a maioria dos atendimentos feitos na capital é de pacientes vindos do interior, o que não configuraria defeito na prestação do serviço da Saúde municipal.

Eleições

“Como Marconi consegue ganhar em 90% das cidades do interior e não ganha em Goiânia, que é onde ele está no dia a dia, é a sede do palácio, onde 80% dos servidores públicos estaduais moram e votam?”, questionou o peemedebista. Para ele, Iris não perdeu nenhuma eleição em Goiânia desde 2004 porque os moradores da cidade conhecem a administração irista e sempre desejam mais um mandato do experiente político.

A respeito das eleições municipais do ano que vem, Agenor relatou que Iris Rezende não tem intenção de se candidatar. No entanto, o vice-prefeito confirma que o PMDB quer seu principal nome como candidato, porque entende que este será um momento crucial no cenário político goiano.

Comentários do Facebook