Professores protestam na inauguração de Hospital de Aparecida

Servidores aproveitaram a presença do presidente Michel Temer para se manifestarem contra mudanças recentes na rede municipal

Inauguração do Hospital Municipal de Aparecida tem protesto de professores | Foto: Leitor / Folha Z
Inauguração do Hospital Municipal de Aparecida tem protesto de professores | Foto: Leitor / Folha Z

Professores da rede municipal de Aparecida de Goiânia realizaram um protesto na inauguração do Hospital Municipal da cidade na tarde desta quarta-feira, 19.

Eles estão descontentes com recentes mudanças implementadas pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura.

A manifestação dos servidores da educação foi convocada para chamar a atenção para medidas que eles consideram “autoritárias e retrógradas”.

A data foi escolhida pelos manifestantes porque a cerimônia contou com a presença de várias autoridades municipais e estaduais, além do presidente da República Michel Temer (MDB), que chegou às 18h30.

Apesar do manifesto ter acontecido mais cedo, por volta das 17h, já havia aglomeração de visitantes no local.

Pautas

As principais pautas dos manifestantes são as seguintes:

  • Retirada de pedagogos dos Cmeis;
  • Retiradas de aulas de educação física;
  • Retirada da regência em caso de atestado;
  • Retirada do planejamento das escolas.

Porém, segundo a secretária municipal de Educação Valéria Pettersen, as reclamações são infundadas.

Visita de Temer em Aparecida tem protesto de professores | Foto: Leitor / Folha Z
Visita de Temer em Aparecida tem protesto de professores | Foto: Leitor / Folha Z

Pedagogos

À reportagem, Valéria afirmou que não serão retirados os pedagogos dos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis).

Com as mudanças, as crianças de até 3 anos passarão a ter “atividades lúdicas” nos períodos vespertinos, monitoradas por 2 agentes educativos.

Pelas manhãs, o atendimento não será alterado e permanecerá com 1 pedagogo e 1 agente educativo

Já as crianças de 4 e 5 anos terão acompanhamento de pedagogos durante os dois turnos.

Segundo a secretária, a alteração está de acordo com as Diretrizes Curriculares nacionais e visa aumentar o número de vagas oferecidas.

Educação Física

Sobre os profissionais de Educação Física, a Secretaria de Educação afirmou que eles não terão alteração de carga horária ou vencimento.

Porém, as aulas da disciplina serão ministradas no contra-turno.

Segundo a secretária, a estratégia visa otimizar o tempo dos alunos com a prática de atividades esportivas e pedagógicas.

Professores protestam na inauguração de Hospital de Aparecida | Foto: Leitor / Folha Z
Professores protestam na inauguração de Hospital de Aparecida | Foto: Leitor / Folha Z

Regência

Outro ponto de insatisfação de professores do município é a retirada do pagamento de bonificação de regência para profissionais que faltarem, mesmo em caso de atestado.

De acordo com a secretária de Educação de Aparecida, a bonificação é um adicional e está vinculada à frequência do professor em sala de aula.

“Não vamos deixar de pagar a bonificação, mas não haverá regência nos dias faltosos”, disse Valéria.

Planejamento

Com relação ao planejamento coletivo, a secretária afirmou que a rede municipal não terá redução na carga horária de planejamento mensal.

A mudança será apenas na distribuição dessas horas.

Até agora, as reuniões eram feitas em todas as sextas-feiras. Assim, os alunos eram liberados às 9h nesses dias.

“É ruim até para o pai, que tem que buscar o filho nesse horário”, disse Valéria.

A partir de agora, as reuniões serão realizadas uma vez por mês, em uma única sexta-feira, dia em que os alunos estarão dispensados.

Diálogo

No entanto, uma professora consultada pela reportagem, que preferiu não revelar sua identidade, disse acreditar que “legitimidade da Educação Física escolar estará se acabando”.

Isso porque as mudanças, segundo ela, “vão prejudicar os pedagogos, que agora terão que dar aula de recreação no lugar do professor de Educação Física”.

Por sua vez, Valéria Pettersen defende que as mudanças darão “credibilidade para a rede, com seriedade e foco em aprendizagem”.

“Conversamos com todos os diretores e pedimos para que eles explicassem os calendários e horários para os professores”, disse a secretária.

Com o impasse, o protesto foi mantido pelos manifestantes.

Além disso, professores de Educação Física ainda farão uma reunião na próxima quinta, 20, para debater a legalidade das mudanças.

O vereador aparecidense Willian Panda (PC do B) demonstrou apoio aos manifestantes e pretende estabelecer uma mesa de negociação entre a prefeitura e os servidores.

LEIA MAIS | Aparecida: Como e quando fazer matrícula em Cmeis e escolas municipais


Quer receber notícias dos bastidores da política de Aparecida?

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade.

Mande uma mensagem para o Whatsapp do Folha Z e se cadastre para ter as matérias especiais do Folha Z direto do seu celular!

É só adicionar o telefone do jornal à sua agenda e mandar o seu nome e a seguinte mensagem: “quero notícias da política de Aparecida”.

Comentários do Facebook