Radares custarão R$ 31 milhões a menos para a Prefeitura de Goiânia

De acordo com a Prefeitura de Goiânia, novo contrato realizado para a instalação de fotossensores na capital cortará R$ 31 milhões em gastos públicos. A licitação foi iniciada em outubro de 2016 e o resultado foi homologado na última quarta-feira, 10, ampliando para 643 as faixas fiscalizadas eletronicamente no trânsito de Goiânia.

Imediatamente após assinar o contrato, a empresa Eliseu Kopp e Cia Ltda, vencedora da licitação, terá 15 dias para começar a instalar os equipamentos. De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, “a comparação de preços entre as empresas que participaram da licitação não deixa dúvidas quanto às vantagens econômicas para o município do novo contrato”. Confira o comparativo: 

Tabela compara despesas com operação de radares eletrônicos em Goiânia | Foto: Divulgação/Prefeitura de Goiânia
Tabela compara despesas com operação de radares eletrônicos em Goiânia | Foto: Divulgação/Prefeitura de Goiânia

A economia advém do novo preço contratado. O valor mensal cobrado pela empresa Trana no contrato anterior já expirado era de R$ 2.627,45 por pista fiscalizada, enquanto a empresa vencedora do novo certame apresentou preço de R$ 1.695 para o mesmo serviço: uma economia de mais de 35% aos cofres públicos.

publicidade

A longo prazo, a prefeitura economizará R$ 6.355.579,20 nas 568 faixas que antes eram fiscalizadas pela Trana. Em cinco anos, prazo de vigência do novo contrato, a economia atingirá R$ 31.777.896.

LEIA MAIS: Supermercado é interditado em Goiânia com ratos e embalagens violadas

Licitação

A licitação para contratar uma nova empresa somente foi homologada após análise jurídica da Procuradoria e da Controladoria Geral do Município. O secretário de Trânsito, Transporte e Mobilidade da Prefeitura de Goiânia, Felisberto Tavares destacou a lisura do processo, apesar da urgência da demanda: “O mais importante é a proteção da vida dos cidadãos que transitam por Goiânia. Este é o maior bem a ser protegido”, afirmou.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter