Raquel Teixeira se reúne com deputados favoráveis às OSs na educação

Encontro de deputados com secretária Raquel Teixeira (Foto: Solimar Oliveira / Alego)
Encontro de deputados com secretária Raquel Teixeira (Foto: Solimar Oliveira / Alego)

Na última terça-feira (2), a secretária de Estado da Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce) Raquel Teixeira reuniu deputados estaduais favoráveis ao projeto de gestão compartilhada das escolas da rede pública estadual com as Organizações Sociais (OSs).

O encontro no Centro Cultural Oscar Niemeyer marcou o fortalecimento do grupo que se comprometeu a defender o projeto no Plenário da Assembleia e perante a sociedade.

Além do presidente da Assembleia, Helio de Sousa (DEM), também participaram da reunião os deputados estaduais Sérgio Bravo (Pros), Francisco Jr (PSD), Mané de Oliveira e Júlio da Retífica, do PSDB, Talles Barreto (PTB), Jean (PHS) e Lucas Calil (PSL), além de superintendentes da Seduce.

Argumentos

Raquel Teixeira reforçou que o trabalho das OSs nas escolas ficará restrito à gestão administrativa, e que a parte pedagógica continua sendo definida pela Secretaria. Ela ainda ponderou que nenhum aluno com baixo rendimento ou necessidades especiais será excluído ou transferido de unidade.

De acordo com ela, a fiscalização desse trabalho será feita por uma comissão interna da Seduce, pela Controladoria Geral do Estado (CGE) e Procuradoria Geral do Estado (PGE). Eles farão uma avaliação profunda da atuação desses parceiros.

LEIA MAIS: Anselmo Pereira, o “azarão”, sai na frente em prévias do PSDB

A secretária também explicou que nas escolas com gestão compartilhada os professores concursados continuam efetivos e os temporários serão regidos pela CLT, após um processo seletivo. Os diretores também continuarão sendo eleitos pela comunidade.  (As informações são da Assembleia Legislativa).

Outro lado

Enquanto isso, o movimento que tenta barrar a instalação das OSs em Goiás organiza ato em apoio aos professores que foram detidos na violenta desocupação do Colégio Estadual Ismael Silva de Jesus, na semana passada.

Alunos e professores que participavam da ocupação da escola denunciaram a presença de policiais à paisana entre as pessoas que forçaram a saída do colégio.

Uma manifestação está marcada para a manhã de hoje em frente ao 22º Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), onde são prestados depoimentos sobre o caso.

 

Comentários do Facebook