A verdade sobre a realocação de Marcos Silva dentro do Governo

Reformulação indica nova cara para a 2ª metade do Governo Caiado

Blog do Coelho

Muito se engana quem pensa que Marcos Silva “caiu” ao ser substituído na Secretaria de Comunicação do Governo de Goiás nesta 4ª (17).

Se caiu, caiu pra cima.

Realocado para a chefia de gabinete da Secretaria-Geral da Governadoria, foi, na verdade, promovido para uma função mais importante dentro do Executivo.

Marcos Silva | Foto: Reprodução
Marcos Silva | Foto: Reprodução

“Desenrolado”, ele é o tipo de profissional que faz a coisa acontecer.

Segundo relatos de ex e atuais colegas de trabalho, por onde passou, sobretudo na iniciativa privada, Marcos soube resolver as demandas que lhe foram apresentadas.

É conhecido por ser competente e exigente, apesar de saber valorizar seus colaboradores.

E foi justamente essa capacidade de diálogo, aliada à experiência no ramo do jornalismo, que fez dele uma peça fundamental do governo Ronaldo Caiado.

Na nova função, Marcos fará um elo mais político dentro da gestão.

Tony

Tony Carlo | Foto: Reprodução
Tony Carlo | Foto: Reprodução

Já o novo Secretário de Comunicação, Tony Carlo, tem tudo para seguir os passos do antecessor.

Porém, ele terá que entender os “melindres” da nova função.

A pasta exige jogo de cintura, muita abertura para diálogo e, sobretudo, política.

Técnico e experiente, Tony tem a vantagem de já acompanhar o governador há anos e entender o jeito de trabalhar de Ronaldo.

Por esses motivos, colegas preveem uma transição tranquila na Secom.

Técnico x Político

Governador Ronaldo Caiado | Foto: Divulgação
Governador Ronaldo Caiado | Foto: Divulgação

Mas a verdade é que todas as mudanças recentes dentro da estrutura do governo indicam que Caiado mudou, ainda que discretamente, sua maneira de encarar a administração.

Ele iniciou o governo com uma equipe extremamente técnica. Chegou até a sofrer críticas por trazer nomes de fora, sem contato com a política local.

Com o passar dos meses, porém, percebeu que não adiantava só ter técnicos.

Um governo não sobrevive se não souber dialogar com lideranças, deputados, prefeitos e até vereadores.

Democracia é assim: o exercício do diálogo. Sem perder de vista, é claro, que cargos de gestão devem ser ocupados por pessoas qualificadas.

E o governo Caiado deve seguir assim para a sua 2ª metade: continuará técnico, mas terá uma vertente mais política, visando ampliar o diálogo com as lideranças.

Caiado promove mudanças na Comunicação do governo


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook