Reunião do PSD tira a tranquilidade de Eliton

O presidente estadual da sigla, ex-deputado Vilmar Rocha, quer discutir com os deputados se é viável apoiar a reeleição de José Eliton

Reunião do PSD | Presidente da sigla em Goiás, Vilmar Rocha deve reunir a cúpula do partido para estudar a viabilidade de apoiar José Eleiton na corrida eleitoral | Foto: Reprodução
Presidente do PSD em Goiás, Vilmar Rocha deve reunir a cúpula do partido para estudar a viabilidade de apoiar José Eleiton na corrida eleitoral | Foto: Reprodução

Um encontro marcado para as 17h desta quarta-feira, 25, entre os deputados do PSD tem tirado a tranquilidade do governador José Eliton.

O presidente estadual da sigla, ex-deputado Vilmar Rocha, quer discutir com os deputados se é viável apoiar a reeleição de José Eliton.

O Folha Z entrou em contato com uma fonte ligada ao presidente Vilmar Rocha.

Ela esclareceu que o tom desta reunião gira em torno do projeto que contempla alianças que possam viabilizar a eleição de nomes do PSD para a Assembleia Legislativa e para a Câmera Federal.

Emancipação Aparecida 300×250

O encontro está marcado para ocorrer no escritório político de Vilmar Rocha, que fica localizado na Praça Tamandaré, no Setor Oeste, em Goiânia.

Alianças com MDB

O PSD mantém conversas com MDB e, ainda nesta quarta-feira, 25, o presidente da sigla deve se reunir com o ex-governador Maguito Vilela.

A possível aliança com o MDB abre oportunidade para que Vilmar Rocha dispute uma cadeira no Senado.

Outro nome que ganha força na composição com o MDB é do ex-prefeito de Senador Canedo Vanderlan Cardoso.

Vanderlan pleiteia disputar uma vaga ao Senado.


Quer receber notícias dos bastidores da política?

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos do Estado de Goiás.

Mande uma mensagem para o Whatsapp do Folha Z e se cadastre para ter as matérias especiais do Folha Z direto do seu celular!

É só adicionar o telefone do jornal à sua agenda e mandar o seu nome e a seguinte mensagem: “quero notícias de política”.