Os bastidores da sessão mais polêmica de 2018 na Câmara de Aparecida

Com tumulto, gritaria, suspensão e até a presença do prefeito, vereadores rejeitaram atualização do IPTU na cidade

Tumulto marcou discussão de planta de valores na Câmara de Aparecida | Foto: Leitor / Folha Z
Tumulto marcou discussão de planta de valores na Câmara de Aparecida | Foto: Leitor / Folha Z

A sessão que marcou a derrubada da atualização na cobrança de IPTU e ITU em Aparecida de Goiânia nesta sexta-feira, 28, acabou sendo a mais polêmica de 2018.

Com plenário lotado, gritos de protesto e até a presença do prefeito, vereadores decidiram não votar o Projeto de Lei Complementar nº 104.

A proposta instituiria uma nova Planta de Valores Genéricos dos Terrenos Urbanos e a Tabela de Preços das Construções no município.

Esta era a 2ª sessão extraordinária após o fim dos trabalhos no ano na tentativa de aprovar projetos de iniciativa da prefeitura.

Prefeitura de Goiânia ITU 2019 – 300×350

Agora, não há mais tempo hábil para que o projeto seja aprovado e entre em vigor em 2019.

Confira vídeo da sessão publicado pelo vereador Nascimento (DEM):

Tumulto

Após convocação feita por líderes comunitários ao longo da semana, a Câmara de Aparecida já estava lotada no início da sessão.

Em clima tenso, os parlamentares já estavam prontos para votar o projeto quando o presidente Vilmar Mariano (MDB) colocou em votação o pedido do vereador Arnaldo Leite (MDB) de suspender a sessão por 20 minutos.

A pausa causou surpresa em grande parte dos vereadores e tumulto entre os visitantes, que vaiaram e gritaram “marmelada”.

Alguns chegaram a ameaçar invadir o plenário.

A confusão era tamanha que a Guarda Civil Metropolitana chegou a solicitar reforços para a segurança da Casa.

Prefeito

A suspensão tinha o objetivo de aguardar a chegada do prefeito de Aparecida Gustavo Mendanha (MDB) e do seu vice, Veter Martins (Solidariedade).

Mendanha pretendia articular com os parlamentares a aprovação do projeto.

Porém, os únicos vereadores que deixaram o plenário e se deslocaram até a sala de reunião, onde o prefeito os aguardava, foram Arnaldo (MDB), Araújo (PPS) e Mazinho (Solidariedade).

O presidente Vilmarzinho ainda tentou convencer os colegas a conversarem com o prefeito, mas não obteve sucesso.

Sem articulação, o prefeito e o vice esperaram pelo resultado do lado de fora da Casa, na calçada em frente ao prédio.

Já o público permaneceu de pé no auditório, puxando gritos de protesto constantemente.

E as deliberações dos vereadores seguiram tensas. Confira em vídeo também publicado por Nascimento:

Resultado

Por fim, mesmo com toda a confusão, o projeto acabou nem sendo apreciado.

A pedido do vereador Isaac Martins (PR), a discussão foi retirada da pauta.

Isso porque a base já tinha como certa a derrota caso fosse à apreciação.

Antes mesmo da 1ª tentativa de votação, a maioria dos vereadores já tinha usado a tribuna para se posicionar contra a atualização da planta de valores.

Já Almeidinha (MDB), Moura (PT), Gilsão (MDB), Panda (PC do B) e Leandro da Pamonharia, (PV) não compareceram à sessão.

Agora, uma nova sessão extraordinária será realizada no último dia do ano para votar outro projeto do Executivo, que altera taxas presentes no Código Tributário do Município.

LEIA MAIS: Câmara rejeita atualização do IPTU e ITU

NOTA: Assessoria do vereador Leandro da Pamonharia entrou em contato com a reportagem para salientar que o parlamentar não participou da sessão porque passou por uma cirurgia, recentemente, e encontra-se em recuperação.


Quer receber notícias dos bastidores da política de Aparecida?

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade.

Mande uma mensagem para o Whatsapp do Folha Z e se cadastre para ter as matérias especiais do Folha Z direto do seu celular!

É só adicionar o telefone do jornal à sua agenda e mandar o seu nome e a seguinte mensagem: “quero notícias da política de Aparecida”.

Comentários do Facebook