Vereador propõe reduzir tarifa de ônibus em Goiânia após queda do diesel

Vereador alega que a redução no preço do diesel também deve ser repassada para a tarifa de ônibus na capital | Foto: reprodução
Vereador alega que a redução no preço do diesel também deve ser repassada para a tarifa de ônibus na capital | Foto: reprodução

Citando a redução do óleo diesel anunciada pelo presidente Michel Temer, vereador Alysson Lima (PRB) apresentou nesta quarta-feira,6, requerimento solicitando a redução da tarifa de ônibus em R$ 0,30.

A requisição do vereador foi apresentada à Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC). Hoje, a tarifa de ônibus em Goiânia está em R$ 4.

LEIA MAIS: Tarifa chegará a R$ 4,40 devido a aumento do diesel, alerta RMTC

publicidade

A redução do óleo diesel em R$ 0,46 foi uma das demandas atendidas pelo Governo Federal após movimento de caminhoneiros que paralisou o país recentemente.

O vereador Alysson Lima | Foto: Divulgação
O vereador Alysson Lima | Foto: Divulgação

No entendimento de Alysson, seria justo que esse repasse também chegasse ao preço da tarifa de ônibus.

A pauta deve ser levada ao presidente da CDTC, Gustavo Mendanha (MDB), também prefeito de Aparecida de Goiânia, informou Alysson.

“É uma oportunidade de as empresas mostrarem que existe alguma preocupação social. A Câmara tem compromisso com a população e não com empresários”, disse o vereador sobre a redução da tarifa de ônibus.

Ele ainda destacou que “é sabido que o valor final da passagem do transporte público deve ser suficiente para seu funcionamento e que o gasto com combustível é de cerca de 25% de todos os custos das empresas de ônibus, o que gera um impacto oneroso à população.”

Na Contramão
No entanto, a Redemob Consórcio, gestoras do transporte público goianiense, vinha planejando o aumento de até R$ 0,50 no preço das passagens.

Isto porque, segundo argumenta a empresa, os sucessivos aumentos do Diesel acumulados até então poderia ocasionar no aumento da tarifa.

Em nota, a Remob informou que no primeiro trimestre do ano o aumento do diesel chegou a 11% em média.

Esse posicionamento da Redemob foi registrado antes das concessões do Governo às demandas dos grevistas do transporte.

Redução

Ao que levantamentos indicam, muitos postos ainda não repassaram ao consumidor a redução do preço do Diesel | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Ao que levantamentos indicam, muitos postos ainda não repassaram ao consumidor a redução do preço do Diesel | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Fruto de uma parcial conquista das demandas dos caminhoneiros, a diminuição de R$ 0,46 no preço do diesel deve ser mantida por 60 dias, depois disso, os reajustes devem ser mensais, segundo anunciou o Governo Federal.

Nesta semana, Câmera dos Deputados deve votar projeto que regulamenta transporte rodoviário de cargas, outra demanda reivindicada pelos caminhoneiros.

Em vão?
Apesar da medida anunciada, levantamento feito pelo G1 em 83 postos de todas as regiões do país mostrou que 90% deles não tinham repassado aos motoristas o desconto de R$ 0,46, pelo menos até a última segunda, 4.

Levantamentos de outras regiões do país atestam o mesmo.

Como resposta, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, afirmou que o governo se valerá de “todo o poder de polícia” para garantir o repasse da diminuição.

A fiscalização do repasse não é tarefa fácil, uma vez que o diesel percorre desde refinarias e distribuidoras até os postos de combustíveis.

Nesta quarta-feira, 6, o Ministério da Justiça publicou portaria que determina que os procoms estaduais fiscalizem se os postos realmente estão repassando a redução do Diesel.

De acordo com a portaria, os postos devem divulgar de maneira clara os preços praticados antes e depois do movimento dos caminhoneiros.

Acompanhe o Folha Z no FacebookInstagram e Twitter