Valéria Pettersen já causou ciúme em secretários da Prefeitura de Goiânia

A fórmula do sucesso da secretária que virou referência de qualidade para outros municípios

As mulheres podem – e devem – participar mais do universo político. Potencial não lhes falta.

O senso crítico feminino tem ajudado a melhorar o ambiente público, mas o baixo interesse compromete a necessidade de renovação de quadros no Legislativo e no Executivo.

Aproveito para mencionar a trajetória da atual secretária de Educação e Cultura de Aparecida, Valéria Pettersen, como exemplo de um nome qualificado para exercer qualquer função.

Valéria, hoje, é cotada para disputar uma das vagas da Câmara Municipal pelo MDB em 2020.

É um excelente nome para ser vice de Gustavo.

Faz bem o partido em listá-la como “candidata com potencial” e não uma simples opção para preencher a cota feminina imposta pela legislação eleitoral.

Referência

Conheci Valéria quando ainda ocupava a pasta de Projetos e Captação de Recursos. Sua performance, em pouco tempo, virou referência de qualidade para outros municípios.

A combinação de motivos era bem simples: enorme disposição para encarar a BR-060 até a Esplanada dos Ministérios, ampliando a rede de contatos, e o bom uso do nome Maguito Vilela, ex-prefeito, para destravar burocracias.

Valéria Pettersen superou todas as expectativas.

Valéria Pettersen superou todas as expectativas, escreve Rodrigo Czepak | Foto: Claudivino Antunes
Valéria Pettersen superou todas as expectativas, escreve Rodrigo Czepak | Foto: Claudivino Antunes

Lembro, como se fosse hoje, a recomendação do ex-prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), para que alguns dos seus secretários visitassem a pasta de Projetos e Captação de Recursos de Aparecida e “descobrissem qual a fórmula do sucesso”.

Detalhe: o governo da ocasião era comandado pela presidente Dilma Rousseff, integrante do mesmo partido de Paulo Garcia.

Liderança

Nem preciso mencionar a cara de poucos amigos dos auxiliares da capital no contato com Valéria Pettersen.

Desde aquele instante o seu nome ganhou peso político. E já passa da hora de ser testado nas urnas, qualificando o debate e a participação feminina no pleito.

Valéria não só tem o dever de assumir uma candidatura como estimular outras mulheres a entrar na disputa.

A liderança é um dom que precisa ser exercido em sua plenitude.

Valéria Pettersen planeja voos mais altos em 2020


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook