Vereadores querem fim do expediente reduzido na prefeitura

tudo-sobre-cartao-ponto
Expediente reduzido tem vigência até o dia 16 de maio, de acordo com a proposta da prefeitura (Foto: Ilustrativa)

Vários vereadores da oposição e da base do prefeito Paulo Garcia (PT) querem a volta do expediente em dois turnos na Prefeitura de Goiânia. O grupo de insatisfeitos assinou um requerimento pedindo a mudança de forma imediata.

Em novembro do ano passado, a carga horária de funcionamento da prefeitura foi reduzida para apenas um turno. As secretarias e órgãos municipais passaram a funcionar apenas das 7h às 13h. Apesar do intuito de gerar economia, os vereadores afirmam que a redução resultou em dificuldades para resolver questões relacionadas à administração.

O vereador Elias Vaz (PSB) é um dos críticos do expediente reduzido: “O objetivo é que a prefeitura volte a funcionar no seu expediente normal. É um absurdo que uma cidade do tamanho de Goiânia tenha expediente só até 1 hora da tarde. Pior que isto, ter o prefeito de Goiânia trabalhando só até 1 hora da tarde,” disse.

Base

Já Clécio Alves (PMDB), que faz parte da base do prefeito, usou o plenário da Câmara Municipal para atacar a medida que, segundo o vereador, teria sido idealizada pelo secretário de finanças Jeovalter Correia. Para Clécio, o secretário estaria comandando a prefeitura no lugar do prefeito.

LEIA MAIS: Thiago Albernaz e Defensoria vão à Justiça por vagas em CMEIs

Também da base, o vereador Denício Trindade (PMDB) reconheceu a necessidade do expediente normal. “A intenção foi as melhores possíveis, mas, como não atendeu as metas de economicidade e deixou a desejar caindo a qualidade do serviço, tem que reconhecer e voltar ao horário normal,” afirmou.

O expediente reduzido tem vigência até o dia 16 de maio, de acordo com a proposta da prefeitura.

Comentários do Facebook