Consumidor entre cruz e espada: Procon autua grande supermercado em Goiânia

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Meia tonelada de produtos irregulares ofertados ao consumidor foram encontradas em grande supermercado de Goiânia | Foto: Divulgação/Procon
Meia tonelada de produtos irregulares ofertados ao consumidor foram encontradas em grande supermercado de Goiânia | Foto: Divulgação/Procon

Nesta terça-feira, 9, a fiscalização do Procon encontrou 600 kg de alimentos em condições inadequadas na unidade Pão de Açúcar do Setor Oeste. Aí, você imediatamente pergunta: se uma irregularidade desta proporção ocorre numa conceituada rede de supermercados, localizada em região nobre de Goiânia, o que pode estar acontecendo nos bastidores do meu local de compras? Ninguém sabe ao certo, por isso é fundamental que o consumidor fique cada vez mais atento às condições do produto que está levando pra casa.

O trabalho dos fiscais, no caso de hoje, foi facilitado por denúncia anônima. A direção do Pão de Açúcar acabou reconhecendo a grave falha na manutenção dos produtos e prometeu melhorar o padrão de qualidade, diminuindo o grau de risco ao cliente. É o mínimo que o consumidor espera de qualquer central de vendas: grande, média ou pequena. O agravante para as redes é o elevado gasto com propaganda, muitas vezes alardeando um zelo com alimentos os que não corresponde à realidade.

LEIA MAIS: Pitbull dilacera rosto e couro cabeludo de mulher em via pública no Paraná

Unifan Bolsas de até 70% – 300×250

É óbvio que não se deve generalizar. Mas vai longe o tempo em que os maiores riscos de acondicionamento e manutenção de produtos estavam localizados nos mercadinhos de ponta de esquina. A “bomba” dos dias atuais se concentra na grande quantidade de mercadorias e baixa rotatividade em função da queda do poder aquisitivo. O reaproveitamento se transforma numa questão de sobrevivência, empurrando o problema para o carrinho do consumidor. Cabe a ele separar o joio do trigo. E cada dia está mais difícil identificar sinais de maquiagem em produtos e embalagens. Quase uma tarefa de detetive para o cidadão que implora por respeito e transparência no momento de gastar o suado salário.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter