Pai e filho percorrem mais de 10 mil km para acompanhar o Chile no Mundial

Canelo (à direita) trouxe o filho e mais dois para a aventura (Foto: Adalberto Leister Filho/Portal da Copa)
Canelo (à direita) trouxe o filho e mais dois para a aventura (Foto: Adalberto Leister Filho/Portal da Copa)

A aventura começou cinco dias antes da estreia do Chile na Copa do Mundo, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Através das redes sociais, torcedores chilenos combinaram uma megacaravana de 800 veículos até o Brasil. Não há número certo, mas viajaram em torno de 3.500 pessoas.

Felix Canelo e o filho, de mesmo nome, resolveram participar do comboio. Os dois escalaram mais dois amigos para ajudar na aventura e deixaram Valparaiso de carro, rumo ao Brasil. Para sair do Chile, o grupo enfrentou o primeiro contratempo. A polícia rodoviária do país fechou a estrada por causa das más condições, após uma nevasca forte. O obstáculo determinaria o atraso da caravana, que se dividiu. Um grupo esperou o tempo melhorar. Outro, integrado pela família Canelo, seguiu um caminho alternativo, 1.200 km mais longo.

Brasil

No Brasil, não tiveram problema. Só com a língua. Um dos chilenos levou um livro de expressões em português para se comunicar por aqui. Desistiu logo ao cruzar a fronteira.

Ruf Medicina 300 x 250

Na cidade sul-mato-grossense, mais uma noite de camping, até seguir rumo a Cuiabá. Ao chegar à capital do Mato Grosso, o grupo havia percorrido uma distância de quase 5.000 km. “A viagem valeu a pena”, festejou Canelo pai, por conta da boa vitória na estreia, contra a Austrália (3 x 1), na Arena Pantanal.

Dali, o grupo seguiu cerca de 2.000 km de carro até Itaboraí (RJ), onde ficou em um camping. No jogo no Maracanã, só Canelo filho conseguiu ingresso. O pai ficou de fora, mas a vitória sobre a Espanha (2 x 0) serviu de consolo.

(Copa2014.gov)