Ninguém merece mais piada sobre o “gordinho” Walter

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Gordinho: Atacante Walter se reapresentou com quilos a mais | Foto: Rosiron Rodrigues / GEC
Gordinho: Atacante Walter se reapresentou com quilos a mais | Foto: Rosiron Rodrigues / GEC

Gordinho

Pouco importa se o atacante Walter está pesando 50, 100 ou 200 kg. Complicado para o torcedor do Goiás é ver o mesmo assunto se repetir no início de temporada, ressuscitando piadas sem graça sobre consumo excessivo de bolacha recheada e sanduíche. O que já está ruim pode piorar quando o preparador físico do clube “comemora” o esforço de Walter para perder 4 kg em 10 dias. Chega! A relação custo-benefício do jogador já estourou faz tempo. Não há mais espaço para falta de profissionalismo no futebol.

Satisfação está longe do ideal

Unifan Bolsas de até 70% – 300×250

Walter é um atacante diferenciado, tem a simpatia da maior parte dos torcedores do Goiás, todavia precisa melhorar muito para voltar aos bons tempos de precisão e oportunismo. Resumindo: assistência e faro de gol. O olhar sobre o atacante carrega mais desconfiança do que otimismo, reflexo das passagens frustradas por Internacional (RS), Fluminense (RJ) e Atlético (PR). Walter ainda não se deu conta que, em caso de uma nova decepção no time esmeraldino, o seu pouco prestígio pode acabar de vez. O “gordinho”, hoje, não satisfaz como antigamente.

LEIA MAIS: Câmara de Aparecida aprova reforma administrativa. Veja como ficaram as secretarias e cargos comissionados

Prefeito Iris Rezende e presidente Michel Temer, ambos do PMDB | Foto: Reprodução

Iris e Temer contra a parede

Não sei quem anda mais inseguro e desorientado: o prefeito Iris Rezende na montagem do seu secretariado ou o presidente Michel Temer acreditando que a criação do Ministério da Segurança Pública contribuiria para amenizar a crise no sistema penitenciário? Homens públicos calejados, tanto Iris como Temer sabem exatamente qual a fórmula para contornar os seus problemas. Nem a maturidade, porém, impede que ambos sejam reféns da pressão política de aliados e parlamentares. O prefeito e o presidente acusam o golpe quando percebem que as crises diárias não dão trégua para governos de muita reflexão.

PSDB sem invenção, mas com climão

Como o interino José Eliton ainda não aprendeu a criar factoides como o titular Marconi Perillo, o período de recesso do governador – uma semana – tem proporcionado refresco nas manchetes dos veículos de comunicação sérios de Goiás. A calmaria só não é maior no ninho tucano em função das alfinetadas entre o ex-deputado estadual Afrêni Gonçalves e o deputado federal Giuseppe Vecci. A troca no comando regional do PSDB ainda está contaminada pelos desdobramentos da Operação Decantação na Saneago, escândalo que abalou as estruturas do Palácio das Esmeraldas.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter