Presidente do Vila quer que torcedor brigão pague multa, e não o time

Presidente do Vila Nova Guto Veronez não concorda com multas ao clube (Foto: Reprodução)
Presidente do Vila Nova Guto Veronez não concorda com multas ao clube (Foto: Reprodução)

Presidente do Vila Nova, Guto Veronez quer apoio dos mandatários de Goiás e Atlético-GO para tentar mudar  a legislação e resolver o problema das brigas de torcida e violência nos estádios de futebol, que afugentam o torcedor tradicional das arquibancadas.

Guto afirmou que já entrou em contato com os presidentes Sérgio Rassi e Maurício Sampaio, esmeraldino e rubronegro, para que seja agendada uma reunião com esse tema na Federação Goiana de Futebol.

LEIA MAIS: Inscrições para vestibular de Eng. Civil, Farmácia e Agronomia na UEG estão abertas

Para Veronez, é preciso que os times goianos se unam e mostram que não existe inimizade na rivalidade:

Emancipação Aparecida 300×250

“Não podemos mais ser responsáveis por vândalos. Tem de ser extirpado, banido realmente, proibir por 10, 15 anos esse cidadão que foi preso pela PM, que faz um trabalho fantástico com o tenente coronel Glauber. Essa pessoa que for presa ou punida não pode mais voltar aos estádios ou praça esportiva pública”.

Alternativa

Ele ainda afirmou que multar os clubes não é uma solução e que existe uma alternativa para o problema:

“É muito fácil hoje, já que o cidadão vai lá, briga, o clube leva uma multa de cinco mil reais, por exemplo, e tem de se virar para pagar. No outro final de semana, o cidadão está lá no estádio novamente, rindo. Tem que fazer essa pessoa pagar a multa, nem que seja em 50 vezes, mas tem de fazer valer no bolso do cidadão. Se não pagar, tem de ir preso. Tem de mexer no bolso, pois está muito cômodo para essas pessoas que vão não para torcer, mas para brigar dentro dos estádios”, sugeriu Guto Veronez.