Câmara de Aparecida pagou dois aluguéis simultâneos, denuncia vereador

Segundo ele, o aluguel antigo continuou sendo pago durante seis meses enquanto o novo contrato já estava em vigência

Vereador Nascimento (DEM) denuncia irregularidades nas contas da Câmara de Aparecida | Foto: reprodução
Vereador Nascimento (DEM) denuncia irregularidades nas contas da Câmara de Aparecida | Foto: reprodução

Um discurso do vereador Manoel Nascimento (DEM) causou alvoroço em sessão ordinária desta terça-feira, 6, na Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia.

O vereador iniciou sua fala, a que mais chamou a atenção dos presentes no plenário, dizendo que a “Casa precisa ter transparência com os recursos públicos”.

De acordo com ele, o aluguel do prédio que serve como sede da Câmara, no valor de R$ 40 mil mensais, seria “muito caro para a realidade dos aluguéis [da região]”.

“Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal [pagam] em torno de R$ 17 mil”, disse.

Gasto excessivo na Câmara

Outra denúncia feita por Nascimento foi de suposto gasto excessivo com pagamentos de dois aluguéis simultâneos por parte da Casa.

Apesar de ter mudado de sede em 2018, a Câmara continuou pagando pelo aluguel do prédio anterior, segundo o parlamentar.

“Nós já estávamos aqui em fevereiro e ainda estava sendo pago aluguel daquelas salas fechadas”, afirmou.

Segundo ele, o aluguel antigo continuou sendo pago durante seis meses enquanto o novo contrato já estava em vigência, situação que permaneceu até julho de 2018.

“Isso é muito sério, vereador”, comentou em seguida o vereador Gilsão Meu Povo (MDB).

Gilsão foi o único parlamentar a repercutir as falas de Nascimento e a cobrar esclarecimentos da Presidência da Casa.

Vereador Gilsão Meu Povo pediu esclarecimentos sobre a questão dos aluguéis | Foto: Reprodução
Vereador Gilsão Meu Povo pediu esclarecimentos sobre a questão dos aluguéis | Foto: Reprodução

O outro lado

Procurada pela reportagem, a assessoria da Câmara afirmou que houve, na verdade, economia com a medida.

De acordo com a assessoria, a multa na quebra do contrato seria maior do que a soma das mensalidades restantes no acordo.

Por isso, a Presidência teria optado por manter os pagamentos até julho em vez de quitar a cláusula rescisória.

Ainda segundo a resposta, o valor do atual aluguel justifica-se pela estrutura do prédio, cujas modificações e adaptações solicitadas pela Câmara foram todas executadas pelo proprietário, como instalação de divisórias e infraestrutura elétrica.

Além disso, a Câmara defende que a mudança de prédio também facilitou o acesso do cidadão aos vereadores.

Isso porque, na sede anterior, o plenário ficava em endereço separado dos gabinetes, tornando mais difícil a chegada dos eleitores até os parlamentares.

Maquete da nova sede da Câmara de Aparecida lançada em solenidade ainda no final de 2014 | Foto: Câmara de Aparecida
Maquete da nova sede da Câmara de Aparecida lançada em solenidade ainda no final de 2014 | Foto: Câmara de Aparecida

Nova sede

Por fim, a assessoria ainda relatou que a construção da nova sede já foi licitada e os últimos detalhes para a assinatura do contrato serão finalizados ainda em 2018.

LEIA MAIS: Dois nomes crescem na disputa da presidência da Câmara de Aparecida


Quer receber notícias dos bastidores da política de Aparecida?

Você está convidado a fazer parte de um grupo altamente bem informado sobre os rumos da cidade.

Mande uma mensagem para o Whatsapp do Folha Z e se cadastre para ter as matérias especiais do Folha Z direto do seu celular!

É só adicionar o telefone do jornal à sua agenda e mandar o seu nome e a seguinte mensagem: “quero notícias da política de Aparecida”.

Comentários do Facebook